Como a doutrina pré-lapsariana (que Jesus tomou a natureza de Adão antes do pecado) entrou na Igreja Adventista?

SHARE
, / 765 0

jesus-professorPor Eduardo Sousa

 

Entre a primavera de 1955  e o verão de 1956, líderes da Igreja adventista do Sétimo Dia, como: Leroy Edwin Froom, Roy Allan Anderson e W. E. Read (Líderes da Associação Geral),  se encontram 18 vezes com pastores evangélicos não adventistas. Esses pastores evangélicos eram: Donald Grey Barnhouse e Walter Martin, especialista em seitas norte-americanas.

 

Esses dois pastores evangélicos leram amplamente a literatura adventista e compareceram às reuniões munidos de várias perguntas a respeito das crenças da teologia adventista. Entre as crenças que lhes chamaram a atenção estavam essas:  (1) Que os adventistas ensinavam que o sacrifício de Jesus na Cruz não foi completo; (2) Que Jesus Cristo ao vir a terra partilhou da naturezaa pecaminosa caída do ser humano; Walter Matin, contestou especialmente essas duas doutrinas adventistas que citamos acima, e perguntou aos pastores adventistas se a igreja adventista como um todo acreditava nessas doutrinas.

Os pastores adventistas, Froom, Anderson e seus colegas não foram totalmente francos na resposta à sua pergunta, ou melhor, mentiram. Disseram a Walter Martin e Barnhouse que “a esmagadora maioria adventista nunca defendeu esses pontos de vista divergentes” . Ou conforme disse Barnhouse: “A maior parte da igreja adventista sempre defendeu a natureza humana de Cristo Impecável”, ou seja a do Adão antes da queda. Nessa parte, nossos pastores não foram sinceros  porque a “pesquisa histórica, contudo, mostra  que exatamente o oposto é que era verdade a respeito da crença da natureza humana de Cristo e até mesmo a respeito de crenças como a expiação” iniciada na cruz e terminando no santuário.

Após esses 18 encontros realizados entre os anos de 1955 e 1956, os pastores, Leroy Edwin Froom, Roy Allan Anderson e W. E. Read,  resoveram “mudar” nossas doutrinas para não sermos chamados de seita , não seguindo os conselhos que nos dá o Espírito de profecia, veja : “Existem mil tentações disfarçadas, preparadas para os que têm a luz da verdade; e a única segurança para qualquer de nós está em não recebermos nenhuma nova doutrina, nenhuma interpretação nova das Escrituras, antes de submetê-la à consideração dos irmãos de experiência. Apresentai-a a eles, com espírito humilde e pronto para aprender, fazendo fervorosa oração; e, se eles não virem luz nisto, atendei ao seu juízo, porque “na multidão de conselheiros há segurança”. Prov. 11:14. . “Se Deus tem alguma nova luz a comunicar, Ele permitirá que Seus escolhidos e amados a compreendam, sem que precisem ter a mente iluminada pelo ouvir os que estão em trevas e erro.”

A mudança dessas doutrinas não foram o resultado de íntimo e fervoroso estudo por homens competentes durante uma série de anos, e as conclusões finais não foram submetidas à igreja em reunião pública representativa, a igreja não votou de acordo com o procedimento apropriado, essa nova doutrina não foi “submetida à consideração dos irmãos de experiência”. Acima de tudo, não seguiu nem um passo dos conselhos de Ellen White acima citado.

No outono de 1957, esses pastores adventistas publicaram um livro chamado Questions on doctrine (Questões sobre Doutrina), com o objetivo de responder as perguntas feitas pelos pastores evangélicos acima mencionado. “Foi uma resposta quase oficial”, quase oficial, porque não foi submetida aos irmãos da igreja mundial, e não foram votadas.  Por causa da mudança das doutrinas, a publicação desse livro (Questões Sobre Doutrinas) fez com que esse livro se tornasse altamente controverso.

Após essas mudanças, pastores como Herbert S. Bird, disse que isso foi uma “grave corrupção do (nosso)¹ evangelho”.  Outro pastor que se levantou contra essas mudanças, foi o mais notável teólogo adventista nas décadas de 1930 e 1940, o pastor M.L. Andreasen. Leia o que ele disse: “ Um livro anônimo apareceu, e os homens foram julgados e os freios foram aplicados sobre qualquer um que objetasse,” ou levantasse contra. O pastor Andreasen escreveu sete cartas às igrejas, e nessas cartas ele disse que “ o [famigerado e nefasto] livro Questions on doctrine ou Questões sobre doutrinas, representava uma traição do adventismo histórico. A mudança da doutrina da Nautereza de Cristo e do Santuário – indignaram Andreasen.  Após a reação de Andreasen e outros pastores, o pastor Froom, autor das mudanças, disse aos que se levantaram contra, que, eles eram “lunáticos e irresponsáveis”.

Pense sobre a seguinte lista de proeminentes líderes adventistas que foram chamados de lunáticos: Francis Nichol, W. H. Branson, Ray Cottrell, Don Neufeld (todos os que viviam em Washington, DC, durante a década de 1950), bem como um século de liderança adventista, tais como E. J. Waggoner, A. T. Jones, S. N. Haskell, W. W. Prescott, Uriah Smith, M. C. Wilcox, G. W. Reaser, G. B. Thompson, M. E. Kern, C. M. Snow, C. P. Bollman, Mead MacGuire, C. B. Haynes, I. H. Evans, L. A. Wilcox. William Wirth, E. F. Hackman, A. G. Daniells, Oscar Tait, Allen Walker, Merlin Neff, W. E. Howell, Gwynne Dalrymple, T. M Francês, J. L. McElhany, C. Lester Bond, E. K. Slade, J. E. Fulton, D. H. Kress, Frederick Lee, L. H. Wood, A. V. Olson, Christian Edwardson, J. C. Stevens, F. M. Wilcox, A. W. Truman, F. G. Clifford, Varner Johns, Dallas jovem, J. B. Conley, Fenton Edwin Froom, J.A. McMillan, Benjamin Hoffman, H. L. Rudy, incluindo os escritos de M. L. Andreasen e centenas de citações de Ellen White de que Jesus “aceitou os resultados da grande lei da hereditariedade. . . e partilhou dos nossos sofrimentos e tentações, e deu-nos o exemplo de uma vida sem pecado. “

No livro: Em Busca de Identidade, lançado em 2006 pela CPB, pág.174, diz o seguinte,a respeito da falsificação dos escritos de Ellen White nesse livro, “Na página 650, (do livro Questões sobre Doutrina), lemos que (Ellen White disse) que  Cristo “ assumiu a natureza humana impecável”. Ellen White não somente não disse isso, mas afirmou exatamente o contrário: que Cristo “tomou sobre si nossa natureza pecaminosa”. Fez Ellen White dizer o que ela não disse, isso é silogismo, proibido pela palavra de Deus (apoc.22:18 e 19).

 Em resposta a publicação do livro com as mudanças de nossas doutrinas, Walter Martin disse que “ os adventistas são cristãos de fato, e não uma seita”. É melhor sermos chamados de seita, como foram o verdadeiro cristianismo, veja o diz Atos cap.24.5e 6:  “”Temos achado que estehomem é uma peste“, declarou o orador, “e promotor de sedições entre todos os judeus, por todo o mundo; e o principal defensor da seita dos nazarenos, o qual intentou também profanar o templo.” .É preferível ser chamado de peste, de lunático, de irresponsável, de promotor de sedições,  porque o importante e ser defensor da seita dos nazarenos. (Atos 24:14) – Mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam seita, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na lei e nos profetas.

 (Atos 28:22) – No entanto bem quiséramos ouvir de ti o que sentes; porque, quanto a esta seita, notório nos é que em toda a parte se fala contra ela.

 Obs. Essa pesquisa foi feita baseada no livro : EM BUSCA DE IDENTIDADE DO PASTOR GEORGE R.KNIGHT Pág.170 a 174.CPB. ed.2006

 

Todos os destaques foram feitos por mim. (Eduardo Sousa)

¹ Acrescentado

 

Fonte: http://exaltandoaverdade.com.br/como-a-doutrina-pre-lapsariana-entrou-na-iasd/

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET


REGISTER



LOG IN