A Família do Pastor

SHARE
, / 33 0
Por Ellen G. White

“Vida do Pastor no Lar Deve Ser Exemplo

É o desígnio de Deus que, em sua vida doméstica, o mestre da Bíblia seja um exemplo das verdades que ensina. O que um homem é, exerce maior influência do que o que diz. A piedade na vida diária dará força ao testemunho público. A paciência, a coerência e o amor impressionarão os corações de maneira que os sermões não podem conseguir. Obreiros Evangélicos, pág. 204.

Se devidamente conduzida, a educação dos filhos do pastor ilustra as lições que ele dá no púlpito. Mas se, em virtude de errônea educação dada aos filhos, o pastor mostra sua incapacidade de governar e controlar, necessita aprender que Deus requer dele discipline convenientemente os filhos que lhe foram dados, antes que possa desempenhar seu dever como pastor do rebanho de Deus. Carta 1, 1877.

Primeiro Dever é Para com os Filhos

Os deveres do pastor jazem em torno dele, próximos e distantes; mas seu primeiro dever é para seus filhos. Ele não se deve absorver tanto com os deveres exteriores que negligencie as instruções que seus filhos necessitam. Talvez considere os deveres do lar como de menor importância; em realidade, porém, esses deveres se encontram na própria base do bem-estar dos indivíduos e da sociedade. A felicidade de homens e mulheres, e o êxito da igreja, dependem, em grande parte, da influência doméstica. …

Coisa alguma pode desculpar o pastor de negligenciar o círculo interior, pelo mais amplo círculo externo. O bem-estar espiritual de sua família, vem em primeiro lugar. No dia do final ajuste de contas, Deus há de perguntar que fez ele para atrair para Cristo aqueles que tomou a responsabilidade de trazer ao mundo. O grande bem, feito a outros, não pode cancelar o débito que ele tem para com Deus, quanto a cuidar dos próprios filhos. Obreiros Evangélicos, pág. 204.

A Grande Influência do Pastor

Os filhos dos pastores são, em certos casos, os mais negligenciados do mundo, pela razão de que os pais não estão com eles senão por pouco tempo, e ficam na liberdade de escolher suas ocupações e entretenimentos. Obreiros Evangélicos, pág. 206.

Mas, por maiores que sejam os males da infidelidade paterna sob qualquer circunstância, são eles dez vezes maiores quando existentes nas famílias daqueles que são designados para ensinadores do povo. Quando estes deixam de governar a sua casa, estão, pelo seu mau exemplo, transviando a muitos. Sua culpa é tanto maior do que a dos outros quanto sua posição é de maior responsabilidade. Patriarcas e Profetas, pág. 579.

Esposa e Filhos, os Melhores Juízes de sua Piedade 

 

Não é tanto a religião do púlpito quanto a da família que revela nosso verdadeiro caráter. A esposa do pastor, seus filhos e os que estão empregados como auxiliares em sua família são o juiz mais bem qualificado de sua piedade. Um homem bom será uma bênção a sua casa. Esposa, filhos e empregados serão o melhor para sua religião.

Irmãos, levai a Cristo na família, levai-O para o púlpito, levai-O convosco aonde quer que fordes. Assim não necessitareis de apelar aos outros para que apreciem o ministério, pois estareis levando as credenciais do Céu com que provareis a todos que sois servos de Cristo. Testimonies, vol. 5, pág. 161.

A Esposa do Pastor, Ajuda ou Obstáculo?

Quando um homem aceita as responsabilidades de pastor, declara ser um porta-voz de Deus, para receber as palavras da boca de Deus e dá-las ao povo. Quão intimamente então deve ele conservar-se ao lado do Grande Pastor; quão humildemente deve andar diante de Deus, ocultando-se a si mesmo para exaltar a Cristo! E quão importante é que o caráter de sua esposa seja segundo o padrão da Bíblia, e que seus filhos estejam em sujeição com toda a seriedade!

A esposa de um pastor poder ser a mais bem-sucedida ajudadora e uma grande bênção a seu marido ou um estorvo em sua obra. Depende muito da esposa se seu marido subirá dia a dia em sua esfera de utilidade ou se descerá ao nível vulgar. Carta 1, 1877.

Vi que a esposa do pastor deve ajudar o marido em seus labores, e ser exata e cuidadosa quanto à influência que exerce; pois é observada, e espera-se mais dela do que das outras. Seu vestuário deve ser um exemplo. Sua vida e conversação também devem ser exemplares, exalando um cheiro de vida e não de morte. Vi que deve assumir atitude humilde, mansa, e todavia exaltada, não se dando a conversações que não tendam a dirigir a mente para o Céu. A grande questão deve ser: “Como posso salvar minha própria alma, e ser instrumento para salvar a outros?” Vi que neste assunto, não é aceitável a Deus uma obra de coração dividido. Ele quer todo o coração e o interesse todo; do contrário, nada. A influência da esposa, ou fala decidida, inequivocamente em favor da verdade, ou contra ela. Ou ela ajunta com Jesus, ou espalha. A esposa não santificada é a maior maldição que um pastor possa ter. Testemunhos Seletos, vol. 1, págs. 37 e 38.

Satanás está sempre em atividade para enganar e levar ao extravio pastores aos quais Deus escolheu para pregar a verdade. A mais eficaz maneira em que ele pode atuar é mediante as influências do lar, por meio de companheiras não consagradas. Se lhes pode controlar a mente, logra através dela mais prontamente ganhar acesso ao marido, que está laborando na palavra e na doutrina para ganhar almas. … Satanás não tem tido mãos a medir em controlar as atividades dos pastores mediante a influência de companheiras comodistas e egoístas. Testimonies, vol. 1, págs. 449 e 451.

Palavras de Conselho aos Pastores

A família do Pr. Tiago White

Tendes um dever a cumprir no lar, ao qual não podeis fugir e ainda ser leais a Deus e ao encargo que Ele vos confiou. … O campo do evangelho é o mundo. Desejais semear o campo com a verdade evangélica, esperando que Deus regue a semente semeada para que dê fruto. Foi-vos confiada uma pequena parte do campo; mas vosso próprio jardim é deixado a crescer com sarças e espinhos, enquanto estais empenhados em capinar jardins alheios. Esta não é uma pequena obra, mas uma tarefa momentosa. Estais pregando o evangelho a outros; praticai-o vós mesmos no lar. Testimonies, vol. 4, pág. 381.

Até que possais estar unidos na obra de disciplinar convenientemente o filho, deixai a esposa ficar com a criança afastada do cenário de atividade do marido; pois nenhum exemplo de desleixo, de frouxidão na disciplina, deve ser dado à igreja de Deus.

Tenho conhecido muitos pastores que eram bastante imprudentes para andar viajando, levando consigo uma criança indisciplinada. Seus trabalhos no púlpito eram frustrados pelo temperamento desagradável manifesto por seus filhos. Carta 1, 1877.”

Texto do livro O Lar Adventista (CAPÍTULO 58), páginas 353-356

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET


REGISTER



LOG IN