Presidente do Movimento de Reforma concede entrevista a revista adventista Spectrum

SHARE
, / 6047 0

O presidente da conferência geral dos adventistas do sétimo dia movimento de reforma, Pr. Davi P. Silva, concedeu uma entrevista à revista Spectrum, orgão de membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Abaixo o Graça e Salvação transcreve a tradução da entrevista. Boa leitura.

Igreja Adventista do Sétimo Dia e Igreja Adventista Movimento de Reforma, qual a diferença?

O Movimento de Reforma detém as mesmas crenças fundamentais que a Igreja Adventista do Sétimo Dia, incluindo crenças sobre o estado dos mortos, o juízo investigativo, a natureza e inspiração dos escritos de Ellen G. White, batismo por imersão, a importância da evangelização antes da segunda vinda de Jesus, e o sábado do sétimo dia. Nossas igrejas têm ambas sessões da Conferência Geral este ano.

   
Em uma entrevista exclusiva à Revista Adventista Spectrum o Presidente do Movimento de Reforma, Davi P. Silva fala sobre nossas semelhanças e nossas diferenças, e as crenças pacifistas que estavam por trás da separação na Primeira Guerra Mundial.
 
Pergunta 1): O Movimento da Reforma Adventista do Sétimo Dia se separou da Igreja Adventista do Sétimo Dia durante a I Guerra Mu
ndial, quando a igreja oficial na Alemanha votou por permitir que seus membros servissem no exército, portando armas e combatendo no sábado. Uma pequena minoria (2% dos membros)se recusou, e por isso foram desligados da membresia. O ponto de vista sobre a objecção de consciência em lutas contra um exército ainda é a única diferença principal entre as nossas duas Igrejas, está correto?
 
Resposta: A participação da Igreja Adventista do Sétimo Dia durante a Primeira Guerra Mundial (incluindo todas as atividades de guerra durante o dia de sábado) foi o principal problema que criou a separação, já que foi uma verdadeira mudança da posição anterior da igreja. No entanto, isso realmente não é a única diferença entre a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) e a Igreja Adventista do Sétimo Dia Movimento de Reforma (IASDMR).
 
Durante as reuniões realizadas em Friedensau, na Alemanha, entre 21-23 julho de 1920, as seguintes questões foram levantadas pelos representantes dos 2% (como eram conhecidos):
 Pr. Davi na Revista Spectrum
 
1 Qual a posição que a Conferência Geral toma em relação à decisão tomada pelos líderes alemães em 1914 em relação ao quarto e sexto mandamentos?
 
2. Qual é a posição que nossos irmãos americanos da Conferência Geral tomam em relação aos Testemunhos da irmã White, hoje? Primeiro: Eles estão inspirados por Deus ou não? Segundo: Será que devemos conti

 

nuar a proclamar a reforma de saúde (que ela trouxe para nós) como o braço direito da mensagem ou não?
 
3. É a nossa mensagem de acordo com Apocalipse 14: 6-12, nacional ou internacional? 
 
 
Estas três questões, em uma ordem ligeiramente diferente, são encontrados no Protocol o das Negociações com o Movimento Opositor.
 
No entanto, como mencionado, o ponto real de discórdia que resultou na divisão foi a participação plena e ativa da igreja durante a I Guerra Mundial e a exclusão/desligamento dos membros da igreja que se recusaram a essa participação.

Reformed_0

 
Hoje, existem alguns outros pontos importantes da doutrina que vemos de forma diferente, principalmente em relação  ao casamento após o divórcio. Nós acreditamos que o casamento, criado no sexto dia da semana da criação (Gênesis 2: 
21-24), é uma das principais instituições divinas que a igreja remanescente deve restaurar na “restauração de todas as coisas” (Atos 3: 19-21 ). “No tempo do fim, toda instituição divina deve ser restaurada.” Profetas e Reis, p. 678. (edição americana) Por isso, nós não realizamos novos casamentos de divorciados, enquanto o cônjuge ainda está vivo (Malaquias 2:15, 16; Mateus 05:32; 19: 3-9; Romanos 7: 1-3; 1 Coríntios 7:10, 11).
 
Em Gênesis 1:29 encontramos a dieta original que também deve ser restaurada, bem como a devida observância do sábado do sétimo dia, Gênesis 2: 1-3. Nós ensinamos nosso povo a praticar uma dieta livre de carne alimentos, em harmonia com Orientação da Criança, p. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p; 383 (edição americana). 64; Gênesis 1:29; Salmo 78: 16-18; Isaías 22: 12-14.
 
Além di
sso, a compreensão inicial sobre o selamento dos 144.000 deve ser restaurada. Este é um ponto altamente essencial, pois devemos “lutar com todo o poder que Deus nos deu para estar entre os 144.000.” SDA Bible Commentary [EG White Comments], vol. 7A, p. 970. (Apocalipse 7: 3; 14:13; Primeiros Escritos, p 43; Testimonies, vol 5, pp 207-216 O Grande Conflito, p 637; Primeiros Escritos, p 15 (todas as citações se referem a edições americanas
).
 
Assim, além da principal diferença a respeito do serviço militar e da participação na guerra, os pontos acima mencionados seriam incluídos.
 
Pergunta 2): O Movimento da Reforma Adventista do Sétimo Dia é organizada ao longo das mesmas linhas como a principal Igreja Adventista, com presença em 114 países e uma Conferência Geral localizado em Roanoke, Virginia. Quantos membros pertencem ao Movimento de Reforma? Quais os países têm as maioria das igrejas?Vocês tem semelhan

 

temente divisões, associações estaduais e uniões? As vossas eleições de oficiais da igreja funcionam da mesma maneira? Em que nossas organizações diferem?
 

front

Resposta: Basicamente, estamos organizados em linhas semelhantes como a Igreja Adventista do Sétimo Dia, com a diferença de que não temos divisões formais. As unidades são organizadas segundo nossa conveniência, que às vezes pode espelhar a unidade organizacional na igreja Adventista do Sétimo Dia, mas não é necessariamente assim.
 
Em vez disso, além de igrejas locais, associações estaduais, Uniões e da Conferência Geral, dividimos o mundo em áreas que são supervisionados por Secretarias Regionais (América do Norte, América Central, América do Sul, Europa, Eurásia, Ásia e Regiões do Pacífico).
 
Embora o aumento de membros seja um aspecto importante da sua existência, não é o foco principal de nossa igreja. Certificar-se de que um membro potencial tem realmente entregado seu coração a Jesus como seu Salvador pessoal é o foco principal.
 
No final de Dezembro de 2014, os nossos relatórios estatísticos revelaram uma adesão de cerca de 40.000 membros batizados [Nota do G.S: Entre membros batizados, amigos e simpatizantes somam mais de 100.00 pessoas]. Semelhante à IASD, o Brasil detém a maior participação em relação a qualquer outro país no mundo, seguido pela a Romênia em segundo lugar, e pelo Peru e Congo em seguida.
 
Como não estamos tão familiarizados com a forma como as eleições são realizadas na igreja Adventista, não podemos realmente comparar as duas.
 
Pergunta 3): O Movimento da Reforma detém todas as mesmas crenças fundamentais originais que a Igreja Adventista do Sétimo Dia, incluindo crenças sobre o estado dos mortos, o juízo investigativo, a natureza e inspiração dos escritos de Ellen G. White, batismo por imersão, a importância da evangelização antes a segunda vinda, e do sábado do sétimo dia. Você pode apontar para áreas de doutrina em que diferem?
 
Resposta: Sim, temos as mesmas crenças fundamentais originais que a Igreja Adventista do Sétimo Dia. Algumas das principais diferenças de princípios hoje eu mencionei na primeira resposta acima.
 
 
Pergunta 4): A Igreja da Reforma é mais conservadora em questões de estilo de vida?Existem outras diferenças?
 
Resposta: Quando uma pessoa realmente aceita a Cristo em sua vida, há uma mudança drástica na forma como ele ou ela aborda a vida. Como resultado, há uma verdadeira mudança na maneira como a pessoa pensa, fala e vive. Devido a isso, nós ensinamos nosso povo os princípios da modéstia cristã/reforma no vestir como revelado na Bíblia e no Espírito de Profecia (Deuteronômio 22: 5; 1 Timóteo 2: 9; Testemunhos Para a Igreja, vol 6, p 96..).
 
Pergunta 5): O Movimento da Reforma tem suas próprias escolas em todos os locais – primárias, secundárias ou universitárias? Você incentiva os seus membros a enviar seus filhos para algumas escolas em particular?
 
Resposta: Nós temos instituições de ensino em alguns países: Peru, Bolívia, Filipinas, Brasil, Colômbia, e algumas em outros lugares. Tentamos motivar o nosso povo a fazer o modelo escola em casa [sistema home school adotado nos Estados Unidos e em outros países] onde quer que seja possível.
 
Onde encontramos boas escolas cristãs nós mandamos nossos filhos para elas.
 
A condição moral da maioria das escolas públicas é um enorme desafio para nós. Nós realmente precisamos da graça divina para dar boa educação em casa para os nossos filhos.
 
Pergunta 6): O Movimento da Reforma tentou unir à igreja principal, depois da Primeira Guerra Mundial, mas foram repelidos. Isso está correto? Por quê?
 
Resposta: Em Friedensau, na Alemanha, a partir de 21-23 julho de 1920, dois anos após a Primeira Guerra Mundial ter terminado, foi realizada uma reunião especial entre os representantes da Associação Geral (A. G. Daniells Presidente e outros, tais como L. H. Christian, FM Wilcox e ME Kern), representantes dos três membros alemães da Holanda, Tchecoslováquia, Polônia e Hungria comité sindical – um total de 51 membros, sob a presidência do Irmão L. R. Conradi – e 16 representantes do “Movimento de Oposição” (como a 2% foram chamados). Infelizmente, o esforço para a reconciliação não foi bem sucedida. Mais tarde, outros esforços foram feitos igualmente sem sucesso.
 
A razão mais provável que uma reunificação não aconteceu é porque a Igreja Adventista do Sétimo Dia, eventualmente, fez adaptações em algumas de suas crenças como mencionado no primeiro ponto. No entanto, as coisas poderiam ter sido diferentes se o nosso apelo ao na Sessão da Conferência Geral de 1922 em São Francisco, Califórnia, tivesse sido concedido e nossos irmãos fossem autorizados para ser envolvido nessas questões mais diretamente – mas isso é apenas uma suposição. Não temos conhecimento da razão para a negação desse recurso importante.
 
Um fato muito interessante sobre L. R. Conradi é que ele estava presente na Sessão da Conferência Geral, realizada em Minneapolis, em 1888, onde foi um dos opositores mais ferrenhos do Espírito de Profecia e da mensagem da Justificação pela Fé (Veja o livro Movimento do Destino por L. E. Froom). Ele também foi o principal responsável por envolver a Igreja Adventista do Sétimo Dia na Primeira Guerra Mundial na Europa.
 
Pergunta 7): Em uma conferência na Alemanha em maio do ano passado, as duas Uniões Alemãs Adventistas do Sétimo Dia se desculpou com o Movimento de Reforma por suas ações de um século atrás, em excluir os pacifistas que iniciaram o Movimento. O que este pedido de desculpas feito significa para você e para o Movimento da Reforma? (Veja a cobertura Spectrum aqui e aqui.)
 
Resposta: A declaração das duas Uniões Alemãs em maio de 2014 foi muita bem-vindo para nós e é um passo na direção certa. É claro que a principal causa de separação entre as duas igrejas foi o serviço militar e a participação na Primeira Guerra Mundial
 
Pergunta 8): Pode a declaração e pedido de desculpas das Uniões Alemãs indicar uma aproximação que poderia levar a reunificação da igreja?
 
Resposta: Desde que a crise em 1914-1918 se tornou um problema entre a Conferência Geral e os representantes dos irmãos desligados, seria útil para muitos, se a Conferência Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia apresentasse a sua posição oficial sobre o serviço militar e a participação na guerra .
 
Pergunta 9): Como é que o Movimento de Reforma vê a Igreja Adventista do Sétimo Dia? Como é ela é vista, percebida e comentada por membros do Movimento de Reforma?
 
Resposta: Nós vemos a Igreja Adventista do Sétimo Dia como um corpo muito bem organizado, com o potencial para fazer um grande trabalho no mundo. O apelo do Irmão Ted Wilson, presidente [atual da Associação Geral da IASD], por um reavivamento e reforma entre os adventistas deveria ser levado a sério. Estes dois pontos – reavivamento e reforma – não podem ser separados. Se esse objetivo pudesse ser alcançado seria um grande fator para uma reconciliação entre as duas organizações, já que foi uma chamado para para um reavivamento seguido de reforma que levou à separação inicial.
 
Pergunta 10): Vocês estão planejando a sua próxima Sessão da Conferência Geral na Virginia [U.S.A] em setembro de 2015. Quais serão os principais temas da agenda? É esta reunião realizada a cada cinco anos? Quem vai participar?
 
Resposta: A nossa próxima sessão da delegação da Conferência Geral será realizada em Roanoke, Virginia, de 25 agosto à 12 setembro, 2015. Nossas sessões de delegação são realizadas a cada quatro anos. Esperamos cerca de 200 representantes de todos os continentes do mundo.
 
Nossos principais pontos da agenda serão: Doação de órgãos, eutanásia, um esclarecimento sobre o papel dos diáconos, casamentos tribais e escatologia. Há muito de planejamento que também terá lugar após os delegados ouviram os relatórios dos atuais diretores e fazer sugestões importantes para a melhoria do trabalho.
 
As reuniões públicas serão realizadas no Salem Civic Center perto de Roanoke, Virgínia, a partir de setembro 10-13 de 2015, e todos são bem-vindos a participar. Por gentileza, consulte o nossosite para mais informações.
 
Pergunta 11): A questão da ordenação de mulheres está em discussão entre a liderança Movimento de Reforma e nas igrejas do Movimento de Reforma além da Conferência Geral?
 
Resposta: Nós não temos opiniões divergentes sobre a ordenação de mulheres. Desde que nossos membros estão todos em harmonia uns com os outros, a este respeito, este ponto não estará na nossa agenda.
 
Estamos, por unanimidade contra a ordenação de mulheres. Nós não encontramos base bíblica para isso.
 
Pergunta 12): Você já percebeu alguma tendência que indica que os membros da igreja adventista do sétimo dia estão a aderir ao Movimento de Reforma, ou membros do Movimento de Reforma estão se unindo à Igreja Adventista do Sétimo Dia?
 
Resposta: De vez em quando alguns membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia se juntam à IASDMR e vice-versa. No entanto, não há uma grande escala de mudança de ambos os lados para juntar-se ao outro.
 
Pergunta 13): Quando você foi eleito presidente da Igreja da Reforma? Quais são seus principais objetivos como presidente? O que você vê como seus maiores desafios?
 
Resposta: Fui eleito presidente em agosto de 2011, na Romênia. Sou natural do Brasil.
 
Nossos objetivos principais são preparar um povo para receber o batismo do Espírito Santo, de modo que sejamos capazes de difundir o Evangelho acompanhado com o grande poder da chuva serôdia e terminar o trabalho de evangelizar o mundo.
 
Nossos maiores desafios são: a unidade perfeita em Cristo, e a obra de pregar as três mensagens angélicas (Apocalipse 14: 6-13), enfatizando a mensagem Cristo  Justiça Nossa [justificação pela fé / salvação pela graça].
 
Pergunta 14): Qual é a sua formação no Movimento da Reforma? Você cresceu no Movimento ou você foi convertido?
 
Resposta: Meu pai era um católico romano. Depois de ler a Bíblia, ele tornou-se membro da Igreja Metodista. Em 1942, três colportores da Reforma visitaram nossa pequena cidade, Três Rios, no Rio de Janeiro, Brasil. Depois de ler um livro profético, meu pai tornou-se um membro do Movimento de Reforma.
 
Eu nasci em um ambiente cristão e me tornei um membro da igreja em 1961. Depois de participar de nossa Escola Missionária no Brasil, entrei no trabalho da colportagem [venda de livros cristãos] e me dediquei aquele trabalho por oito anos. Então me tornei um líder de colportagem, obreiro bíblico, e líder de jovens. Eu servi em várias responsabilidades em todos os níveis da igreja (igreja local, associações, união, e da Conferência Geral). Fui ordenado ao ministério em 1977.
 
Fui eleito como Secretário Regional para América do Sul da Conferência Geral (oito anos), então depois secretário corporativo da Conferência Geral, e novamente secretário regional para a América do Norte, vice-presidente da Conferência Geral, e agora presidente.
 
Esperamos que o povo de Deus esteja pronto em breve para que possamos realizar uma próxima Sessão da Conferência Geral em conjunto com nosso Senhor e Salvador na glória celestial”.
 
Fonte da entrevista: http://spectrummagazine.org/article/2015/04/11/seventh-day-adventist-reform-movement-president-explains-century-old-church-split
 
Nota do Graça e Salvação: Todas as observações entre colchetes e em negrito ou itálico são do editor deste blog. O autor desse blog congrega na IASD Movimento de Reforma desde 1997.

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

PASSWORD RESET


REGISTER



LOG IN